quinta-feira, 25 de junho de 2009

Auto estima é fundamental!


Costumamos ficar preocupados com o que as pessoas pensam ou acham de nós, não é verdade? Você já parou para pensar o que você acha de si mesmo? Qual a ideia, o conceito que tem sobre sua pessoa? Isso é muito importante, pois, define muitas coisas na vida, sabia?

O conceito que temos sobre nós mesmos é definidor de como nos colocamos e nos portamos na vida, define o valor que vamos dar a nossa pessoa, ao nosso trabalho, as nossas opiniões, as nossas vontades, enfim, por aí vai. E isso faz toda a diferença, por exemplo, quando lutamos por um aumento de salário, ou na hora de uma paquera, a opinião que temos sobre nós pode influenciar positiva ou negativamente no êxito daquilo que estamos buscando.

Por isso é essencial ter um bom referencial de si mesmo, saber reconhecer seus valores, suas qualidades, e não ficar só se criticando, se cobrando, focado apenas nas suas limitações e dificuldades. Procure ter um pouco mais de respeito e compaixão por si mesmo. Não seja assim tão duro! Todos nós temos um avesso, por que ficar olhando somente para ele, quando há tantas outras coisas positivas para enxergar e destacar em você?

Sem dúvida que é bom ouvir palavras de elogio, de aprovação e de amor do outro, mas, com certeza é melhor ainda ouvir isso tudo de você mesmo! Isso nos fortalece, nos dá animo, tesão pela vida.

Claro, que ás vezes, não é assim tão fácil ser carinhoso e compreensivo com nós mesmos, somos acostumados a valorizar mais o outro, achamos que somos egoístas, metidos, ou até pretensiosos quando reconhecemos nossas qualidades, mas tudo isso não passam de crenças bobas, ideias que foram passadas para nós e quando passamos pelo crivo da nossa consciência descobrimos que não tem nada a ver com a realidade, e que podemos sim encher nossa própria bola, valorizando nossos potenciais e diferenciais.

Até porque, se eu não consigo olhar para mim, e nem sei reconhecer as minhas próprias qualidades e o meu valor, como posso esperar que o outro faça isso? Se eu ficar esperando essa atitude, certamente ficarei frustrado e corro o risco de acreditar que não tenho mesmo nada de bom! Atente a isso e não deixe na mão do outro essa responsabilidade, você mesmo pode fazer isso.

terça-feira, 14 de abril de 2009

RECICLE-SE


Agora é hora de pensar diferente. Sim, não só pensar, mas, agir, ver, sentir, enfim, mudar de vez em quando faz bem aos pulmões. Nada melhor que novos ares para reciclar a vida.
Reciclar está na moda, e acredito que seja prudente não ficar fora dela.


Ninguém aguenta todo dia o mesmo papo, a mesma história, a mesma crise. Chega! É hora de mudar um pouco de problema, de lamúrias, isso, é claro,caso ache mesmo necessário levar tudo isso sempre contigo.


Bom, o caso é que se faz urgente viver novas histórias, conhecer novos sabores, rever seus gostos e opiniões. A vida é movimento e se estagnarmos em nossos valores e crenças ficaremos fora dela.


Depois não adianta reclamar que as coisas não estão andando, que está tudo parado, que nada de novo acontece, enfim, tudo é reflexo do quanto estamos abertos ou não a novidades.


Experimente deixar a vida te surpreender de vez em quando. Não tenha medo de sair da rotina. Experimente novos caminhos e jeitos diferentes de fazer as mesmas coisas.


Mude de opinião, mesmo que seja só para contrariar!


Experimente começar pelo seu visual, talvez lhe caia bem novas combinações. Quem sabe mudar ,mesmo que só de brincadeira, o seu estilo? Você pode se surpreender.


Também você pode reparar se existem muitas coisas paradas e que não tem mais nenhum sentido ao se redor, isso não é nada bom, atrasa a vida. Nesse caso, é chegada a hora de colocar mãos à obra: doe, troque, recicle, mude, dê o seu jeito e movimente tudo isso. Crie novos espaços para que a vida preencha com boas novidades.


Ah, já ia me esquecendo, troque de vez em quando a senha do banco, a fechadura da porta, o caminho de volta para casa, a fritura por grelhados, refrigerantes por sucos, praia por cachoeira, enfim, o importante é não deixar o movimento do novo fora da nossa vida. Boas novidades é sempre bom!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Você é feliz?


Estar bem, em paz e em tranquilidade é sem dúvida uma busca comum a todos. Porém o que não nos damos conta é de que isso não é possível sozinho, sabia?
Você já reparou que não conseguimos ficar completamente à vontade quando próximo de nós há alguém meio tristonho?
Pois é, é sobre isso que eu estava falando.
Sabe por quê? Estamos interconectados, ligados uns aos outros numa grande teia cósmica que faz tudo ficar um só. Um acaba influenciando o outro de uma forma ou de outra. Eita, que coisa complicada, né?
Nem tanto, pense numa grande cidade. Para que ela funcione de maneira harmoniosa não depende de um só, mas de muitos. Aqueles que, pensando na beleza do local, cuidam dos jardins da cidade não vão ficar completamente satisfeitos se os que precisam recolher o lixo não fizerem a sua parte. Perceba, um depende do trabalho do outro para que de maneira geral a cidade fique bonita.
Da mesma forma acontece com nosso bem estar. É difícil ficar bem quando nosso colega do lado não está em um dos seus melhores dias,não é verdade?A gente até que continua com aquele sorriso no rosto, mas certamente é bastante constrangedor saber que do lado tem alguém que não está bem. Não conseguimos ficar bem sozinhos, precisamos dividir, já percebeu isso?
Mas, olha só que legal, numa dessas acabamos influenciando esse nosso colega a rir também e, de repente, todos estamos rindo e não se sabe mais quem começou primeiro.
Não é que o sentimento de um acaba influenciando o outro mesmo? Agora sim dá para ser feliz gostoso.
O que eu quero dizer com tudo isso? Que enquanto todos não estiverem bem não conseguiremos ficar completamente bem também. Sim, é necessário pensar diferente e entender que hoje em dia bem estar não pode ser pensado sozinho, mas sim coletivamente. Nós não estamos sozinhos nesse mundo e nem podemos pensar em sermos felizes assim.
Todos compartilham da mesma água, do mesmo sol, do mesmo mar. Assim também é para todo o resto.