quarta-feira, 8 de outubro de 2008

O poder da massagem no dia a dia


É só falar em massagem que já nos derretemos inteiro, somos tomados por uma deliciosa sensação de aconchego, cheia de carinho e cuidado. Não fica difícil pensar em coisas boas quando imaginamos o poder que o toque exerce sobre nós.

Realmente a massagem pode nos proporcionar tudo isso, ela aproxima duas pessoas mesmo que não falem a mesma língua ou que nunca tenham se visto antes. Porque isso acontece? Ela é capaz de evocar dentro de nós a memória de quando estávamos totalmente protegidos e envolvidos no calor do nosso útero materno, lá estávamos em perfeito estado de contemplação e paz.

Quando sentimos o calor desse toque proporcionado pela massagem é despertado dentro de nós essa memória e podemos novamente desfrutar desse estado tão especial que um dia experimentamos.

E como tudo isso é importante no nosso atribulado dia a dia! A turbulência e o caos do nosso cotidiano nos faz perder de vista essa sensação de unicidade, de pertencer a algum lugar, a sensação do colo, do acolhimento. Por mais que já estamos grandinhos, isso é fundamental ao nosso bem estar e equilíbrio.

Do contrário, somos tomados por uma sensação de angústia, de não estar encaixado direito no mundo. Isso certamente não é nada bom. Ficamos carentes, agitados, como se não tivéssemos um chão, não conseguimos estabelecer um foco e nem tomar decisões com segurança.

Por isso que a massagem é tão fundamental para nosso equilíbrio e bem estar. Ela nos lembra da nossa sensação de totalidade, de pertencer ao Todo, nos deixando centrados e inteiros novamente.

E massagem nada mais é do que TOQUE COM CONSCIÊNCIA, ou seja, quando você toca, você está presente, conectado a pessoa que é tocada. Assim a mágica acontece. Podemos acolher, nutrir, amparar e transmitir todo nosso amor, tudo com um simples toque.

Não importa muito se você utiliza alguma técnica ou não, o que vai fazer mesmo a diferença é a sua intenção, é a consciência de tudo isso que a massagem pode significar e proporcionar ao outro.

Saiba que a massagem é algo muito natural para nós, podemos fazê-la de forma muito intuitiva. Já reparou que quando uma criança se machuca a dor não melhora enquanto a mamãe não passa sua mão sobre o machucado? Por que será? Nós precisamos desse contato, e é natural que levamos esse toque onde seja necessário no nosso corpo.

Assim, experimente se utilizar desse maravilhoso recurso no seu dia a dia. Deixe que seu coração te guie através das tuas mãos. Certamente ele conhece essa linguagem que pode fazer grande diferença no seu dia a dia.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Ativando seu magnetismo no amor


Você é um daqueles que está sempre buscando por uma grande história de amor? Daquelas típicas da novela das oito, capazes de arrancar suspiros, nos deixando sonhando acordado?

Pois é, na procura desesperada por esse amor não deixamos nada passar desapercebido. Estamos atentos a qualquer sinal que indique uma possibilidade de romance, olhamos para todos os lados, nossa procura é constante e incansável.

Quando essa busca e, conseqüentemente, a angústia toma conta de nós, é que nada acontece mesmo. Fazemos disso uma preocupação, um problema, e logo o desânimo e a frustração tomam conta de nós.

Somos invadidos por sentimentos que não tem nada de atrativo, como a descrença, a sensação de impotência e de abandono. Isso nos detona e nos faz sentir cada vez menor, um lixo, sem nenhuma qualidade nem atrativos. Atrair uma paquera fica cada vez mais difícil!

Perceba que tudo isso começou a partir do momento em que iniciamos nossa busca, nossa “missão” de encontrar um alguém para se encaixar no personagem da nossa história de amor.
Pelo jeito as coisas não são bem por aí. Buscar por um amor parece uma furada. E é mesmo!

Sabe quando você se perde de alguém e fica os dois um procurando pelo outro? No amor acontece a mesma coisa, assim, cada vez mais nos distanciamos de quem queremos encontrar.
Eu posso buscar por um apartamento, por um emprego, qualquer coisa, mas amor eu não busco, ele acontece! Não preciso buscar por ele, mas entrar em contato com esse amor, deixar que ele aconteça naturalmente.

É como uma chuva de verão: às vezes chega de repente sem dar nenhum sinal e nos surpreende.
Assim, sente e espere. Abra seu coração e deixe que teu amor flua por todos os cantos, como o perfume das flores na primavera. Aliás, deveríamos aprender mais com elas. Você já percebeu que uma flor simplesmente oferece seu perfume e beleza ao mundo e não sai correndo querendo com isso conquistar alguém? É como se ela sentasse e esperasse. E o que acontece? Tudo que ela necessita, ela é cortejada por abelhas, beija-flores, enfim, tudo o que uma flor poderia querer, e, perceba o detalhe, sem nenhum esforço.
Vou deixar algumas dicas para ajudar a ativar seu magnetismo pessoal a fim de atrair para si um relacionamento bacana, sem precisar sair correndo para procurar.

Seja você mesmo! Lembre-se do exemplo da flor. Naturalmente você tem sua beleza e suas qualidades atrativas. Não precisa querer agradar e nem fazer tipo.

Faça o que gosta, cuide-se. Não espere que o outro faça isso por você.
Lembre-se que você é único. Não queira ser igual, comum. Aceite suas peculiaridades, seu diferencial. “A flor tem a beleza que tem.”

E o mais importante, antes de tudo, quem tem que gostar e lhe aprovar não é ninguém mais do que você mesmo! Saiba reconhecer e valorizar as tuas qualidades, seus talentos, tudo que possa contar a seu favor.
Primeiro eu me amo e depois eu deixo quem mais quiser que faça o mesmo.




domingo, 20 de julho de 2008

Preste atenção no teu corpo e saiba mais sobre você

Nosso corpo diz mais de nós mesmos do que imaginamos. Ele pode contar a nossa história, revelar nossos medos, nossas angústias e dificuldades. Ele sabe das nossas buscas e necessidades.
É como se ele fosse um mapa de nós mesmos, que guarda toda a nossa história. Nossas vivencias e aprendizados estão registrados nessa memória corporal. Assim, se quiser entender e saber um pouco mais sobre você, basta apenas atentar ao teu manual de instruções que é o teu próprio corpo.
Prestar atenção na sua respiração pode ser um bom começo.
Se ficar atento vai perceber que isso é a primeira coisa que se altera quando não estamos bem. Qualquer questão ou situação que nos afete vai interferir diretamente no fluxo dessa respiração.
Portanto, ela pode ser um aviso de quando algo não vai bem. Isso pode ser um indicativo de que algumas mudanças devem ser feitas para que possamos permanecer no nosso estado de bem estar e harmonia . Quando atentamos para isso podemos reavaliar a situação mudando nossa postura e atitude caso seja necessário.
Outra forma de se perceber é dando a devida atenção às nossas dores. A dor nada mais é do que o corpo querendo conversar. É uma forma que ele tem de chamar nossa atenção para dizer que algo não anda bem. Nesse caso, seria oportuno rever alguns hábitos, corrigir a postura, melhorar a alimentação ou, quem sabe, seja hora de tirar umas férias ou descansar um pouco mais.
Nosso corpo sempre dá vários sinais quando alguma coisa não está bem, a dor, já é um grito por atenção e socorro! Quando ele precisa adoecer é porque já passamos por cima desses avisos e não demos nenhuma importância.
Sempre nos preocupamos em saber se estamos no caminho certo ou se fizemos as melhores escolhas na nossa vida. Como pudemos perceber nosso corpo sempre está indicando isso, é só prestar a devida atenção. Assim, ele pode nos orientar as melhores atitudes e posturas para o nosso bem estar e equilíbrio. Ele sempre sabe o que é melhor para nós.
Quando nos conectamos a essa corporeidade, acessamos nosso mestre interior, uma sabedoria e uma força capaz de nos guiar ao melhor caminho e as escolhas mais apropriadas à nossa vida.

sábado, 28 de junho de 2008

Cuide do seu relacionamento e aproveite tudo que ele tem de bom


Relacionamento é uma oportunidade de compartilhar, de dividir e trocar. É a possibilidade de aprender juntos, de crescer e se conhecer um pouco mais por meio do outro. Pode ser um excelente exercício de tolerância, de desapego e de confiança.

Essa pode ser uma forma de se relacionar, ou podemos descrever um relacionamento como um campo minado, cheio de provocações, cobranças, inseguranças, dúvidas e tristeza. O que num primeiro momento era puro romance e curtição, pode se tornar um problema difícil de resolver.

Precisa ser assim? Claro que não, algo tão bonito e mágico não precisa se tornar um problema na nossa vida. Tudo é questão de aprendizado e cuidado. Sim, devemos pensar um relacionamento como uma planta exótica e delicada, que necessita de constante atenção e cuidados.

Temos que entender que é natural ter dificuldades em lidar com algumas questões que aparecem num relacionamento. Isso é algo que vamos aprendendo e nos melhorando com o tempo. Nossas experiências e vivencias vão nos lapidando e nos aprimorando nessa arte.

Algumas dicas e observações podem ser importantes para proporcionar e manter a saúde e longevidade do seu relacionamento.

Procure não criar expectativas em relação ao outro, isso gera cobranças e frustrações. Não espere que o outro cuide de você, não jogue a responsabilidade da sua felicidade na mão do outro. Você não precisa mais de alguém para cuidar de você.
Lembre-se: o verdadeiro amor nasce na ausência da necessidade do outro. Ou seja, eu estou com alguém simplesmente porque amo. É o amor que sustenta e mantêm essa união, e não a necessidade que tenho do outro. Isso não é amor, é interesse.

Garanta um tempo só para você, isso é o oxigênio da relação. Procure manter a sua individualidade no relacionamento. Entenda que embora juntos ainda continua sendo duas pessoas diferentes e únicas , com gostos e vontades divergentes que precisam ser respeitados.
Não deixe de lado as coisas que gosta de fazer. Gaste um tempo só com você. Não se esqueça dos amigos, dos seus interesses e passatempos. Estar junto é bom, porém é importante que cada um viva a sua própria história e crie outra comum a ambos no relacionamento.

É necessário reconquistar quem amamos diariamente, isso garante o tesão num relacionamento. Assim, aproveite para conquistar e seduzir novamente quem você ama. Se prestar atenção vai perceber que a pessoa que está ao seu lado hoje não é mais aquela mesma que começou a namorar com você.
Não somos mais os mesmos, estamos diferentes a cada dia. Por isso é sempre necessário estar reconquistando essa nova pessoa. É importante não deixar que acabe o erotismo e o romance da relação. É importante investir e não deixar de lado esse jogo de sedução.

terça-feira, 17 de junho de 2008

Crie sua própria realidade


O que você quer para tua vida? Sim, é possível fazer escolhas e definir a tua realidade.
Os fatores externos não precisam mudar, nem mesmo determinar o teu estado de espírito.
Tudo depende da forma de como você vai encarar e administrar os fatores e situações que ameaçam seu humor e bem estar.

Vivemos num mundo conturbado e agitado. A palavra stress virou moda e sinônimo de trabalho e compromissos. Parece que não conseguimos mais associar trabalho sem stress.

È pressão, prazos, cobranças, chefe de mau humor, colegas querendo puxar seu tapete, o tempo que sempre falta, além, é claro, do trânsito, e dos nossos básicos problemas pessoais. Ufa! Realmente nesse cenário a palavra stress é a mais apropriada e esperada. Junto dela não poderia faltar a irritação, o saco cheio, o nervosismo e por aí vai, a lista é grande.

Isso lhe parece uma sentença condenatória? Definitivamente não. É possível escolher e determinar a postura e a atitude que você vai ter diante desse quadro. O externo não precisa mudar, nem mesmo determinar teu estado de espírito.

Então, a atitude mais sábia nesse caso seria a aceitação dessa verdade e a observação da sua postura interior diante disso. Eu não posso determinar nem alterar tal realidade, mas posso escolher a minha postura e meu olhar diante dela. E isso muda muita coisa, sendo determinante para seu estado de espírito.

Por mais que se reclame, fique nervoso, irritado, de saco cheio, você consegue mudar alguma coisa? Não, você só vai ficar stressado, acabar com seu bom humor e prejudicar a sua saúde.

Assim, não permita que o externo determine o teu humor e a qualidade do teu dia. Não precisa ser assim. Não importa o caos e o turbilhão lá fora, você não precisa entrar nessa.

Esteja atento!Não se deixe afetar numa situação desagradável. É como escolher uma estação e rádio. Das muitas disponíveis, você escolhe aquela que está a fim de ouvir naquele momento. Porque que no seu dia a dia teria de ser diferente?

Isso é possível a partir do compromisso e da consciência de que somos os únicos responsáveis pelo nosso bem estar e que o externo não precisa ser um fator determinante na nossa vida. Você pode escolher a melhor atitude e postura diante das coisas.

Esse é o segredo! A escolha. Escolher deixar ou não que o externo altere seu humor, decidindo como vai ver e encarar as coisas, o valor e a importância que dará a elas e, principalmente, sua atitude e postura interior diante dos fatos.
Lembre-se se você pode escolher a rádio que ouve, você pode escolher como vai estar.

A beleza essencial



Já dizia o apaixonado poeta Vinícius de Moraes: “beleza é fundamental.” Com certeza é. Somos atraídos à beleza como mariposas, à luz.Tudo é pensado para ser belo, para chamar atenção.

Conscientes disso, almejamos essa tal beleza, certos de que com ela garantimos a felicidade e o amor de cada dia. Além da cobiça e dos olhares alheios - é claro.
Parece um bom negócio. Então, o que garante ou define essa beleza? A moda, a fita métrica, o estojo de maquiagem a novela das oito?

Nada disso. Esses são apenas alguns exemplos dos vilões da beleza. É isso mesmo, vilões!

Estamos acostumados a negar, a disfarçar ou esconder o que julgamos fora dos "padrões". Assim, acabamos fazendo isso com nós mesmos. E então ouço você dizer que mesmo com todos os esforços para ficar mais atraente e bonito, ainda assim, não sente que o outro o ama, o deseje de verdade. Você continua se sentindo desvalorizado, mal amado.

Sabe onde está o problema? Exatamente nessa excessiva preocupação com o externo, com a aparência. Você nunca fica completamente à vontade, aberto a troca. Está sempre preocupado com o que o outro vai achar de sua aparência, da sua performance, da sua celulite... Você não se solta para sentir e aproveitar.

É essa extrema preocupação com a imagem, com o que o outro vai pensar de você que não o deixa sentir. Que não o deixa relaxar e curtir o outro de verdade. Desencane do que a sociedade dita e define como bonito ou não. Deixe de lado esses estereótipos do belo! Confie na sua beleza natural - é ela que realmente atrai e cativa.

Faça isso sendo autêntico, se assumindo. Não fique esperando ter aquele corpo ideal para poder ser amado e ter prazer. O que importa é a sua opinião e daquele que o ama. Provavelmente você nunca escutou de verdade nenhum dos dois.
Reconheça em você a beleza, a dignidade de um corpo que pode dar prazer e alegria agora! Ele não precisa de nenhuma mudança para proporcionar isso.
Quanto mais a preocupação de submeter-se a torturas e técnicas mirabolantes para ficar bonito, mais distante disso você acaba ficando.

Você vai se despersonificando, vai perdendo a naturalidade, seus traços característicos, sua identidade. Logo vem o vazio. Existe um corpo bonito, mas vazio,sem vida, sem personalidade.

A beleza fundamental, que encanta e prende nossos olhos, vem da nossa alma. Da aceitação de nós mesmos.

É necessário cuidar, sim, do nosso corpo, da nossa aparência, porém o estímulo para isso deve ser o amor que já sentimos por nós mesmos. Percebeu?

O amor e estima que você já tem por você é que deveria motivar a cuidar mais de si. Não o contrário, ou seja, cuidar de si para começar a se amar e se aceitar.

É aí que está a grande diferença: haverá um corpo belo, atraente com uma beleza viva, pulsante. Com personalidade e verdade.

Deixe que transpareça em você sua graciosidade natural, seu jeito único. Olhe para o belo que já existe dentro de você. Sinta e assuma essa beleza interior - é a única capaz de encantar e seduzir, do contrário sempre vai ficar faltando alguma coisa.

O tempo necessário



Você já se pegou divagando naqueles bons momentos de suas férias em uma tarde turbulenta de trabalho?

Talvez, de vez em quando, se pegue lembrando do sorriso maroto do seu filho tentando lhe fazer uma surpresa? Ou, quem sabe, a letra de uma antiga canção aparece do nada em sua mente e traz com ela belas recordações, que fazem valer a pena aquele dia corrido e chato.

Bons momentos esses, não acha? Alguns minutos ou até mesmo segundos em que, somos como que tomados por uma poderosa brisa, que nos reconforta, trazendo bem-estar e um pouco de descanso para nossa mente.

Vivemos, ou melhor sobrevivemos, a rotina nossa de cada dia imbuídos da nobre tarefa de manter-nos ocupados, atentos aos nossos planos e objetivos. Temos muito o que fazer e pouco tempo.

Nessa importante ocupação, a de "correr atrás da vida", como dizem por aí, parecemos um equilibrista numa corda bamba, que ainda por cima faz malabares. O que não seria uma comparação tola, tamanho o desafio que temos diariamente.

Só você sabe onde quer e precisa chegar. Quais são seus sonhos, suas necessidades e buscas. E ninguém mais qualificado para saber o quanto é difícil para manter essa busca constante.

São muitos os desafios e imprevistos encontrados pelo caminho. Cada vez exige-se mais de nós.Toda atenção é pouca.

Parecemos mesmo um equilibrista tentando manter-se em pé diante do imprevisível da vida. E olha que às vezes essa vida balança e muito.

E, se, de repente, num descuido, cairmos? Se toda nossa busca, nossos esforços acabarem sendo frustrados? Se o imprevisto da vida falasse mais alto e encontrássemos com o chão duro da decepção?

Quem já não passou por isso na vida? Quem nunca deixou, mesmo que bem rápido, de acreditar em si mesmo e nos seus sonhos? É... a vida balança mesmo.

Na certeza disso, algumas precauções podem ser tomadas. Assim, como nosso equilibrista, que não é bobo nem nada, tem abaixo de si, antes do chão duro, uma rede de proteção; é melhor, nós, que estamos em uma situação bem parecida, pensarmos em alguma coisa que nos proteja e amenize nossa queda.
Você sabe o que seria essa rede de proteção? O que garante, em caso de nossos planos irem por água abaixo, não desanimar e buscar um restinho de força lá no fundo para continuar a caminhada?

É aquele tempo "desperdiçado" que você achava que não fazia nada de importante, nada de construtivo pela sua carreira. É o tempo gasto com os amigos, com os filhos. É a prosa à toa. As férias.

É aquela doce brisa das boas lembranças que cultivamos quando não fazemos nada de importante.
É a contemplação, a reflexão. O tempo que paramos e olhamos para a construção da nossa caminhada. Nossos acertos, aprendizados e nossas conquistas.

Percebemos e tomamos consciência do quanto crescemos e o quanto já fizemos pelos nossos ideais e objetivos. Isso nos dá força.

Você reconhece o seu valor e sabe que nada foi em vão. Assim, uma queda é só uma queda. Não determina o fim de tudo e nem fracasso nenhum.

Agora, se você nunca parou para admirar a sua construção, quando desmoronar uma parede vai ser difícil perceber que a casa inteira ainda está em pé, e, é bem possível que você desista de tudo.

E, é justamente nesses momentos, duros e amargos da vida, que necessitamos buscar dentro de nós, no nosso reservatório, boas memórias que nos garantirão o resgate da fé e de valores importantes que nos farão lembrar de que nada foi em vão.

Eles ainda servirão para clarear nossa mente não deixando que esse momento turbulento tome maiores proporções e ofusquem o sentido da nossa caminhada.

Sim, é essencial aquelas paradas para o nada, apenas para o deleite. É necessário parar e admirar a paisagem. Curtir o que vamos encontrando pelo caminho.

Gastar tempo conosco, com quem amamos, com histórias engraçadas e descobertas inúteis. São essas lembranças que nos darão conforto, sentido e força para continuar e não desistir.

Sendo assim, se proponha a costurar essa rede de segurança da sua vida. Se permita usar mais do seu tempo fazendo o que gosta e o que dá prazer. Tudo isso vão virar boas lembranças e virão a ser como água quando a vida parecer um árido deserto.

Veja com bons olhos aqueles momentos que agora podem parecer perda de tempo, mas que num futuro mais turbulento podem fazer a grande diferença.

domingo, 8 de junho de 2008

Paz, aqui e agora, é possível?

É possível ter um pouco de paz e tranqüilidade no nosso estressante dia-a-dia?
Sim, não só um pouco, mas o quanto você quiser. A paz não se limita apenas aos monastérios isolados do mundo. Ela pode existir dentro de você, mesmo que esteja no caos de uma grande cidade ou no meio de um dia conturbado e agitado.
Essa paz pode ser uma conquista, basta descobrir isso em você, pois ela já existe aí dentro. O que necessitamos é ficar só um pouquinho quietos para que ela pouse no nosso galho, como um passarinho arredio.
Mas essa é a questão: “como ficar quieto?!” Você pode estar pensando. Essa quietude, às vezes, é só uma questão de aceitação. Entender que as coisas são como são ou como deveriam ser.
Ficar bisbilhotando mentalmente sobre o que foi e o que será é desnecessário – é se distanciar dessa paz.
Você já percebeu quanto tempo perdemos em um discurso interior furado, reclamando ou se preocupando com o que já aconteceu ou ainda vai acontecer? Alguma coisa muda com tudo isso?
Procure fazer as coisas uma vez só, da melhor maneira possível. Dê o seu máximo, ponha tudo que sabe, tendo a certeza de que fez o seu melhor e tranqüilize-se. Assim, não ficará remoendo isso mentalmente, repetindo a mesma coisa várias vezes.
A certeza de que fizemos o melhor, traz a serenidade para relaxar e aquietar a mente. Ficar se cobrando só vai tirar seu sossego e se tornar castigo. É isso mesmo que você procura?
Podemos entender que essa paz é a ausência de preocupação, a não necessidade de ter, de fazer.
É confiar.
É como plantar uma semente. Você faz a sua parte e vai descansar, o restante não depende mais de sua vontade.

O outro, como espelho da alma

Você sabia que as pessoas que estão ao seu redor e com as quais você se relaciona dizem muito a seu respeito?

Podemos pensar a vida como uma grande escola, onde são colocadas diversas situações e acontecimentos que dão a nós a oportunidade de crescimento interior, nos lapidando, renovando nosso ser.

Isso é possível através da observação de como lidamos e vivenciamos as experiências da nossa própria vida, é necessário entender que nada acontece por mero acaso, da mesma forma que ninguém está na nossa vida de gaiato, muita coisa está envolvida nessa aparente coincidência.

Pensando as coisas dessa forma, o outro, nessa grande "escola", desempenha um papel muito importante. É o facilitador do nosso processo de auto- observação, é como um espelho que nos mostra refletido, com lentes de aumento, o que não conseguimos ou não queremos ver em nós mesmos, o que está escondido bem lá no nosso mais intimo.

Assim, a maneira como vemos e lidamos com os outros, a nossa volta, nos dá uma boa idéia de como encaramos e lidamos com nós mesmos; com nossos anseios, virtudes e crenças. Não é possível gostar e admirar alguém de verdade, se você não acha motivos para primeiro admirar e gostar de si mesmo, por exemplo.

Amar e cuidar do próximo é, na verdade, uma grande oportunidade de cuidar de si mesmo, por isso, as vezes, nos vemos tomados por uma ânsia de ter alguém, de amar, de cuidar do outro, talvez isso seja uma busca desesperada por nós mesmos.

A mesma porta pela qual nos amamos e cuidamos de nós será a abertura para amar e sermos amados, se é um espaço apertado e limitado, se não conseguimos achar motivos para respeitar e amar a nós mesmos, não será nenhuma surpresa se nos nossos relacionamentos isso apareça refletido.

Podemos observar isso também quando desenvolvemos uma atitude muito critica com nosso próximo, tendo uma tolerância muito curta para com as atitudes e pensamentos alheio. Isso da mesma forma, pode refletir uma insatisfação com nós mesmos, talvez não estejamos tão contentes com nosso emprego como pensamos, ou não estamos totalmente satisfeitos com a maneira que decidimos e levamos a nossa vida.

Provavelmente, agora você já possa observar como vê ou se relaciona com o outro na sua vida e entender porque atraiu essa ou aquela pessoa para perto de você. Lembre-se, antes de se irritar por demais com esse ou aquele, ou reclamar que não é ouvido ou amado, como você gostaria, olhe de verdade para dentro de você.

Dessa forma, toda vez que se incomodar ou se orgulhar com as atitudes e o jeito de ver e viver a vida que o outro tem, pare e pense, ele só está mostrando a você tudo aquilo que não conseguimos ou não queremos ver nem perceber em nós mesmos.

Talvez se façam necessárias algumas mudanças nas nossas atitudes ou em velhas crenças que arrastamos conosco a longo tempo. Pode também, ser a hora de reconhecer em nós nossas qualidades, nossos talentos, tudo aquilo que as vezes todo mundo enxerga, e que só a gente não consegue perceber.

Bendito esse que está sempre diante de nós, refletindo nossa verdade interior, nos dando, assim, a oportunidade de olhar profundamente para nossa alma, afim de descobrir quem sou de verdade e o que preciso fazer para ser e estar mais satisfeito e feliz comigo mesmo e com o outro.




Para onde o levam os teus desejos?

A vida é um eterno querer. É impossível nos imaginar sem nenhuma vontade nem aspirações. Já pensou que essas buscas podem revelar muito sobre o sentido da tua vida?

O que estou fazendo aqui? O que a vida espera de mim? Certamente em algum momento de sua caminhada você já deve ter feito estas e outras perguntas a si mesmo. Talvez ainda não tenha encontrado uma resposta que seja satisfatória, talvez nem nunca a encontre completamente. A beleza e a mágica da vida está exatamente nisso: no mistério.
Seria confortável ou tudo faria mais sentido se pudéssemos, pelo menos, compreender um pouco do "fio da meada" da vida.

Descobrir qual é meu encaixe nessa roda viva, se faz diferença ou não as escolhas que faço nesse percurso.
Pois bem, existe sim uma forma de compreender a marcha e seguir em frente, basta prestar atenção aos seus desejos, sim, tuas vontades e aspirações podem revelar muito sobre o que a vida espera de você.

Nossos desejos nascem em nosso mais íntimo, lugar onde dificilmente temos muito acesso, por isso, quando paramos um pouco e observamos esses nossos anseios, temos contato com nosso mundo interior, onde se esconde o segredo da nossa vida.
É como se observássemos os ventos, com um pouco de experiência podemos afirmar várias coisas, se vai mudar o tempo, se vai chover, etc.
Para onde o levam os seus desejos? De onde vem o "vento" que empurra você na vida?

Ás vezes, é sensato dar atenção a vontades recorrentes que nos acompanham por longo tempo. Quantas coisas deixamos para trás acreditando que era impossível, difícil, inviável?
Mas mesmo assim esses pensamentos insistem em voltar. É como uma voz, nos chamando à razão, às nossas "responsabilidades" cósmicas.
O universo nos incumbe algumas tarefas das quais, se quisermos estar em harmonia com o fluxo da vida, não temos como escapar. Existem determinadas coisas que só cabe a você realizar e concretizar.

Como muita coisa poderia ser diferente, o quanto o mundo poderia melhorar se você fizesse a sua parte!
A maneira como você pensa o mundo, por exemplo, pode fazer a diferença, o seu jeito criativo de ver e encarar a vida pode somar e contribuir muito para a solução de vários problemas. Confie naqueles seus projetos, idéias, ideais. Eles são anseios da tua alma, é a sua oportunidade de participar, de contribuir com seu diferencial ao universo.

Quando estamos realmente dispostos e começamos a fazer a nossa parte, o universo faz a parte dele.
Pode ser que um dia ao acordar tudo pareça fazer sentido, todas as peças se encaixam perfeitamente, e você sente aquela sensação boa de que está tudo certo.

PODEMOS AQUILO QUE QUEREMOS?

Eu quero!!!

Percebemos logo cedo o poder dessas palavras.
Quando criança elas pareciam uma sentença mágica nos aproximando daquilo que mais queríamos. Era só expressar, ou melhor, gritar, as tais palavrinhas, que logo um adulto, sem paciência, nos fazia calar garantindo aquilo que reclamávamos.

O tempo passou, crescemos e descobrimos que as tais palavras não são tão poderosas assim, ou, estamos fazendo algo de errado com essa mágica.
O fato é que nem tudo o que queremos podemos ter. Será que essa era uma fantasia típica de criança, que só funciona quando éramos pequenos e ingênuos, como quando acreditávamos em Papai Noel e Coelhinho da Páscoa?

Certamente essa não é uma mágica furada.
Ela continua tendo muito poder, é capaz de realizar e concretizar nossos ideais. A questão é saber usá-la.

Quando queremos alguma coisa somos mobilizados por uma poderosa energia que nos impulsiona. Movimentamos os obstáculos a nossa frente a fim de garantirmos o que queremos. É uma energia que nos mantém vivos, pulsando. É o contrário da apatia - pelo menos é como deveria ser.

E, é justamente aí que andamos falhando, estamos acomodados, continuamos com aquela atitude infantil, esperando passivamente que algo aconteça.
A vontade sem ação de nada vale. É como a água que parada apodrece e vira veneno. Já em uma hidrelétrica, onde é bem utilizada, é muito poderosa, garante até mesmo que você leia esse texto.

Queremos tudo, um aumento de salário, um carro melhor, uma promoção, perder uns quilinhos... Ter o que desejar não é problema. A dificuldade está em concretizar, realizar.
É como ficar olhando uma vitrine, sonhando com o tal objeto de desejo, mas não dar o primeiro passo para fato possuir e se realizar com tal consumo. Não percebemos, mas muitas vezes estamos assim, entorpecidos, cheios de vontades, porém, sem nenhuma ação.

Corremos o risco de ficar resmungando para cima e para baixo, reclamando da sorte, justificando nossas frustrações na atuação do governo, no mercado de trabalho, no tempo. Inventando 1001 desculpas para explicar nosso comodismo, ou melhor, o nosso fracasso.
Isso acontece porque entregamos nosso poder de realização nas mãos do outro, da situação, são eles os grandes vilões. E nós estamos sentenciados a imobilidade. Não podemos fazer nada, somos vítimas.

Mas, é claro, é mais fácil se acomodar e aceitar as nossas frustrações, do que fazer algo para que tudo seja diferente. É confortável ficar se justificando, tentando acreditar que você é mesmo um coitadinho, vítima das circunstâncias. Essa é uma escolha. Já para aquele que acreditar em si mesmo, no seu poder, tudo estará garantido.

Sim, eu sou o grande e único responsável pela minha vida e por tudo que nela acontece. Tudo depende de mim, do rumo e do movimento que dou à minha história.
Tomar consciência desta verdade é urgente.
Aí está o “x” da questão, o poder dessa mágica.
Agora, só cabe a você usar eficientemente essa poderosa energia. Não dá mais para ficar se desculpando.

Claro que isso pode ser um tanto assustador. “É muita responsabilidade”, você poderia pensar. No entanto pode ser um grande alívio – a varinha de condão está em suas mãos.
Você é o grande e único agente transformador de sua própria vida.

Já pensou nisso?

Pois é, temos o poder e o direito a felicidade. De ser e ter o que quiser. Basta querer e lembrar-se de agir.